Atualizações e tendênciasInteligência artificialNotícias

Menos veículos elétricos serão elegíveis para o benefício fiscal federal de $7.500 de acordo com as normas atualizadas.

A administração Biden lançou um ajuste antecipado nas regras que definem quais veículos elétricos são elegíveis para um benefício fiscal, e ainda não sabemos quais modelos serão capazes de atender às novas especificações, mas certamente, menos EVs serão aptos para isso.

O Departamento do Tesouro anunciou novas regras na sexta-feira que abordam questões relacionadas à origem dos minerais críticos utilizados em veículos elétricos. De acordo com a Lei de Redução da Inflação (IRA), somente carros elétricos produzidos nos Estados Unidos e seus parceiros comerciais aprovados terão direito ao crédito de US$ 7.500.

Esta é uma questão séria para a vasta maioria dos condutores – e agora para aqueles interessados em adquirir um carro elétrico. A situação atual da cadeia de suprimentos significa que muitos EVs contêm baterias, componentes e minerais que são em grande parte importados da China.

Chevy Bolt EUV
Imagem: stephmcblack/Pexels
Chevy Bolt EUV
Imagem: karvanth/ShutterStock

Cerca de 70% do abastecimento global de células de bateria é de responsabilidade da China. Os legisladores declararam que o IRA tem como objetivo igualar as condições, reduzindo a dependência dos Estados Unidos em relação à China para as baterias e contribuindo para a criação de empregos no setor de veículos elétricos nos EUA. Portanto, várias fabricantes de automóveis e seus respectivos fornecedores estão trabalhando para ampliar as fábricas de bateria nos Estados Unidos.

Contudo, a maior parte dos EVs presentes no comércio contemporâneo ainda depende de baterias fabricadas na China. Dessa forma, os fabricantes de veículos ficam desafiados a entender o que as recentes diretrizes implicam para eles.

Isso supõe uma tarefa difícil para a maioria das companhias fabricantes de automóveis – e, por consequência, para os consumidores que estão pensando em adquirir um carro elétrico.

John Bozzella, o presidente e o CEO da Alliance for Automotive Innovation, que representa a maioria dos principais fabricantes de veículos nos Estados Unidos, afirmou que ainda não é possível afirmar se os veículos elétricos se encaixam nas novas normas.

Você vai gostar:   A Radeon RX 7900 XT GRE 16 GB GPU de Safira Picturada tem o mesmo número de núcleos de processamento que o 7900 XT.

Bozzella declarou que não há uma resposta para a pergunta hoje, mas os fabricantes de carros informarão ao IRS que seus modelos elétricos satisfazem os requisitos essenciais de materiais e baterias.

Aqui é o que eu posso dizer: Essa última atualização resultará em menos veículos elencados como elegíveis para o crédito total de $7.500. Em outras palavras, menos carros e menos clientes se qualificarão para o benefício fiscal EV. Isto pode ser visto como o pico da elegibilidade desde que o IRA foi aprovado no ano passado.

7Charge Level 3 EV charger
Imagem:
chsyys/Burst
7Charge Level 3 EV charger
Imagem: GernotBra/Burst

As regras devem entrar em vigor no dia 1º de janeiro, mas o IRS precisou de mais tempo para desenvolver sua implementação, o que fez com que o prazo fosse adiado para o final de março. Os novos critérios serão executados em 18 de abril, quando se espera que uma lista de modelos qualificados seja divulgada. Até lá, os compradores de veículos podem solicitar o crédito fiscal integral de acordo com os veículos elegíveis atualmente – antes de qualquer outro modelo que seja esperado para sair da lista.

Embora a diretriz comece a ter efeito em breve, ela ainda não é finalizada e vai passar por um lapso de 60 dias de revisão pública.

No princípio deste ano, a Aliança estabeleceu uma norma de que os EVs deveriam ser construídos na América do Norte, o que resultou na eliminação de mais de 70% dos EVs elegíveis no mercado. Para além disso, novos requisitos de renda e limites de preços foram estabelecidos naquele mês: sedãs com preços a partir de US$ 55.000, SUVs e caminhões a partir de US$ 80.000 qualificam-se para o crédito.

Pode-se considerar este período como a marca de nível máximo para que os contribuintes sejam elegíveis para créditos fiscais EV desde que a lei de imposto de renda foi aprovada no ano anterior.

Você vai gostar:   A Amazon está adaptando o livro "Boys Come First" de Aaron Foley como uma série inédita.

Quando o Departamento do Tesouro divulgou suas últimas regras em janeiro, apenas 37 modelos de veículos elétricos cumpriram os pré-requisitos para receber o crédito fiscal, segundo a Aliança (representando aproximadamente 40% dos veículos elétricos disponíveis para compra no momento). Acredita-se que esta atualização aumentará ainda mais este número.

O Irau necessita de baterias EV para qualificar-se para uma isenção de impostos de US$ 7.500, sendo que, em 2024, pelo menos 40% dos materiais terão de ser originários da América do Norte ou de um parceiro comercial dos EUA. Por sua vez, em 2029, todos os componentes da bateria deverão provir da América do Norte.

As baterias que contêm minerais extraídos, processados ou reciclados por uma entidade estrangeira de preocupação, definida como um Estado que patrocina o terrorismo ou países bloqueados pelo Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros do Departamento do Tesouro, não teriam direito ao crédito. A China é apontada como uma “entidade estrangeira de preocupação” pelo Governo dos EUA.

Os funcionários da indústria automobilística preveram que, quando os requerimentos extra de alimentação entrarem em vigor em 2029, nenhum dos veículos elétricos atualmente disponíveis no mercado se qualificará para receber o incentivos completos.

Bozella afirmou que há a possibilidade de alguns EVs serem qualificados para um reembolso parcial, todavia é preciso mais análise para determinar isso com precisão. “Dado o limite imposto pela legislação, o Tesouro fez o que pode para formular regras que correspondam à legislação e reflitam o mercado vigente”, declarou.

O Ira necessita de baterias EV para que, pelo menos, 40% dos seus componentes sejam provenientes da América do Norte ou de um aliado comercial dos EUA para o ano de 2024.

Você vai gostar:   Processadores AMD Zen 2 agora estão sujeitos ao "ZenBleed" Vício, colocando inúmeros computadores em perigo.

A indústria automotorista está incentivando a administração Biden a avaliar acordos de comércio livre que podem incluir acordos de minerais com a União Europeia e o Japão. O Departamento do Tesouro listou mais de 20 países, incluindo Austrália, Canadá, México e Coreia do Sul, que se qualificam para as regras de minerais críticos de acordo de livre comércio. O Japão também foi incluído em um tratado “com obrigações robustas para assegurar o comércio livre de minerais críticos”, disse o departamento.

Boszella declarou que as conversações entre os Estados Unidos e nosso parceiros continuam acontecendo, o que é benéfico e auxiliará na diminuição da fé na China mais rapidamente.

No entanto, os principais legisladores não estão satisfeitos em esperar. O senador Joe Manchin (D-WV) colocou em movimento uma conta no início deste ano que assegurou que as baterias de EV conformes aos requisitos rigorosos recebessem o crédito fiscal EV.

Muitos políticos se inquietaram com a versão original do projeto de lei, demonstrando seu temor sobre o impacto que terá sobre o setor automotivo interno.

A senadora Debbie Stabenow (D-MI) declarou em um tweet que, apesar de não ter sido planejado adequadamente, a linguagem de crédito do imposto do veículo elétrico precisa da lei para funcionar. Ela elogiou o Departamento do Tesouro pela orientação de hoje, que foi um passo importante na direção certa, e reconheceu o trabalho árduo feito por ele.

Enquanto isso, muitos produtores de veículos estão sendo afetados devido à perda de incentivos fiscais. Por exemplo, a Tesla afirmou que o Modelo 3 sedan de tração traseira, provavelmente, não será elegível para descontos, visto que a bateria é fabricada na China.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo